Posts

Aprenda como preparar arquivos para impressão de forma correta e evite erros na hora da produção gráfica

Neste arquivo vamos dar algumas dicas para que você prepare seus arquivos para impressão de maneira correta e evite erros na hora da produção gráfica, vamos lá? 

  1. Não utilize arquivos de imagens, preenchimentos ou contornos em RGB  

O processo de impressão gráfica offset ou flexografia, utilizam o sistema de cores CMYK. Com isso, para realizar a impressão com as cores RGB são convertidas pelo software automaticamente para CMYK, e essa conversão não é fiel, devido a gama de cores alcançada pelo RGB que é bem maior que o CMY. Por isso, quando você manda aquele material com uma cor Azul Royal linda em sua tela, se surpreende ao receber a impressão na cor roxa. Outro defeito causado pelo RGB é o desencaixe de cores em texto preto com fontes pequenas.  

A dica é: O Azul Royal não pode ser convertido com fidelidade para CMYK. 
Para obter um Azul Royal aproximado utilizamos C100% M75% Y0% K0%. Faça um teste para mais ou para menos e veja o que mais lhe agrada. 

  1. Não utilize imagem em baixa resolução  

A qualidade da imagem conta muito na hora da impressão. Geralmente quando você baixa a imagem na internet a resolução é reduzida para 72 dpi, porém a qualidade ideal para impressão são 300 dpi. Nesse caso, as imagens com baixa qualidade ficam “pixadas” (com quadradinhos na borda). A dica é: Baixando o arquivo com 72 dpi da internet, passe para um software de edição, como photoshop, illustrator ou corel e reduza a imagem para 24% do tamanho original.  

  1. Word, Power Poin e Exel, não são programas de editoração gráfica 

Estes programas não são muito úteis na hora de compreender o CMYK nem controlar a resolução de imagem. Por isso não é aconselhável gerar impressos a partir deles. Os programas ideais são: Corel, Illustrator, Indesign ou Photoshop.  

  1. Sangre seu documento 

A área de sangria ou sangra, é necessária para facilitação do refile e melhorar o material gráfico. É a hora de exceder a área final do impresso em alguns milímetros. Além disso, é ideal que sangre inclusive imagens, assim você evitará que seu material venha com borda branca ou com alguma coisa indevidamente cortada.  

  1. Sombras, efeitos e afins 

Cuidado e muita atenção, nessa hora. Algumas vezes você utiliza, gera o pdf e não tem problema algum. Já outras, você vai fazer exatamente a mesma coisa e dá tudo errado. A transparência inverte, a sombra fica quebrada e outras anomalias acontecem e ninguém sabe de onde vem. Por isso, é importante que você utilize transparências, sombras, blur e afins sem moderação, mas ao final converta tudo isso que tiver efeito em bitmap e aí sim envie para a gráfica.  

Dica bônus:  
Se esse post ficou confuso para você, procure uma agência, designer gráfico ou até mesmo uma gráfica para fazer a arte final do projeto para você.  

Achou interessante?  

Impressão e Acabamento

Impressão

Essa etapa é a mais importante de todo o processo. É nela que vemos o resultado da arte virtual se materializar e ganhar vida por meio do material escolhido — papel, metal ou plástico. Por isso, é tão importante deixar tudo perfeitamente alinhado e corrigido.

Cada projeto demanda um tipo de volume de impressão. A Gráfica Scribo sempre indica que se o seu projeto é novo, deve fazer uma produção de baixas tiragens para testar a venda do seu livro. Assim o investimento é menor e os riscos ainda menores.

Acabamento

Quando uma peça gráfica com características diferenciadas é criada, a primeira coisa que vem à mente é ver o produto finalizado com um material de alta qualidade e acabamento perfeito, não? Isso faz com que os setores encarregados desse serviço estejam cada vez mais especializados e valorizados nas gráficas.

Assim, os tipos de acabamentos mais comuns são: refile (corte final) dobra, vinco, corte e vinco, laminação brilhante ou fosca e bordas arredondadas.

Essa fase pode ser executada na própria empresa responsável pela impressão ou em um fornecedor especializado nesse segmento — tudo depende da complexidade do acabamento. Finalmente, o trabalho está finalizado para ser entregue ao cliente.

O produtor gráfico é o profissional responsável pela essência de todo o processo de impressão. Nos projetos de livros, seu papel é programar e coordenar a edição, selecionando os temas e títulos que serão publicados; definir o conteúdo e o formato da obra em conjunto com os autores e editores e, ainda, determinar o cronograma de trabalho.

Conforme foi possível verificar neste post, saber como uma gráfica opera pode ajudar a otimizar os projetos, uma vez que você passa a compreender toda a dinâmica envolvida e de que forma atuar para contribuir para resultados cada vez mais aperfeiçoados.

Escolha a Gráfica Scribo para imprimir e cuidar dos acabamentos para seu negócio.

Criação de projeto gráfico

A primeira fase de um projeto de impressão gráfica, é a criação da arte, que será impressa ou reproduzida pelo designer gráfico responsável pela organização e diagramação de textos e imagens dentro do espaço delimitado.

Assim como um livro ou um simples panfleto, o designer de qualidade faz parte de um bom projeto gráfico.

Depois de passar pela aprovação, o arquivo digital é fechado e encaminhado à gráfica para a pré-impressão. Nesse ponto, é indispensável que o profissional seja devidamente capacitado para executar a função a fim de evitar que erros comprometam todo o resultado do trabalho.

A escolha do tipo de cores, com o fechamento do arquivo. Hoje largamente utilizado, o PDF.