Posts

Você sabe o que é mockup?

Muito se fala em como garantir que uma produção gráfica seja feita de maneira adequada e fidedigna ao que à mente criativa por trás do projeto idealizou.

Edição, acabamento e impressão, por exemplo, são alguns dos fatores que influenciam na qualidade final do produto.

Uma das ferramentas mais importantes, aliás, é o mockup.

O mockup é a maneira mais precisa de mostrar a um cliente como uma arte ficaria depois de pronta.

Mas o que é, exatamente, um mockup?

Mockups (maquetes, em inglês), como o nome sugere, são maquetes que viabilizam a visualização de um projeto gráfico antes que ele fique pronto.

Isso, é claro, está diretamente ligado à experiência do cliente, já que ele passa a ter a possibilidade de visualizar uma imagem física idêntica ao resultado final do projeto.

Isso serve, também, para evitar que sejam feitas impressões em grande escala de produtos que não satisfazem o cliente, afinal, ninguém quer imprimir uma grande tiragem de um material à toa.

Vale lembrar que a importância dos mockups vai muito além da indústria gráfica, afinal, empresas de qualquer segmento precisam apresentar projetos.

E quais são os principais benefícios da utilização de um mockup?

  • Credibilidade

A apresentação de um mockup passa a sensação de credibilidade e profissionalismo para o cliente, já que ele passa a ter acesso a uma representação real de como o projeto ficará depois de pronto.

  • Redução de custos

A utilização de mockups faz com que possíveis erros e falhas no projeto sejam identificados antes que uma tiragem maior seja impressa.

Isso faz com que a gráfica não corra o risco de gastar tempo e recursos em uma grande remessa de produtos errados, fazendo com que os custos sejam diminuídos.

  • Meio de avaliação

Mockups podem servir como uma ferramenta de avaliação antes do lançamento oficial de um material.

Ao apresentar o mockup para uma parcela do público é possível analisar o grau de receptividade dos consumidores em relação ao produto e fazer qualquer mudança necessária para obter resultados melhores.

Isso serve para mostrar que os mockups são grandes aliados da produção gráfica em qualquer tipo de mercado e empresa.

E aí, curtiu?

 

 

Entenda a importância da indústria gráfica para o marketing

Não é segredo para ninguém que a indústria gráfica é crucial para o funcionamento de empresas, universidades e escolas.

O que muita gente não se dá conta, no entanto, é que as gráficas são de extrema importância para o marketing, área que abrange empreendimentos de todas as áreas e mercados.

Por isso preparamos um artigo para destrinchar a relação entre a indústria gráfica e o marketing e explicar como funciona essa interação no dia a dia.

A relação entre materiais gráficos e o marketing

O marketing é uma área que, através da implementação de planejamentos, estratégias e ações específicas, busca aumentar os índices de visibilidade de uma marca especifica.

Para que isso aconteça, no entanto, dentre outras coisas, é necessário investir em uma série de materiais de divulgação e propagação de conteúdo

Isso faz com que as empresas tenham materiais físicos com informações cruciais sobre serviços e produtos para divulgação.

Vamos tomar uma startup como exemplo.

Quando uma empresa nova surge, ela precisa atrair investidores e, posteriormente, clientes.

Para que isso aconteça é importante possuir uma série de materiais gráficos como cartões de visitas, catálogos e folhetos para apresentar os serviços e produtos da empresa.

Além disso é importante contar com banners, flyers e outros materiais de divulgação diversificados para informar as partes interessadas da melhor maneira possível.

Podemos concluir, então, que a indústria gráfica é o agente que transforma as ideias de marketing e publicidade em realidade.

Isso permite, entre outras coisas, que as marcas consigam atrair mais clientes, engajá-los e fidelizá-los para que os resultados obtidos pelo negócio sejam cada vez melhores.

Apesar do mundo estar cada vez mais voltado para plataformas e canais digitais, especialistas em marketing afirmam que a melhor solução para empresas que buscam alavancar seus resultados é encontrar um equilíbrio entre ações online e offline.

Isso significa que os materiais gráficos ainda são relevantes e caminham lado a lado com qualquer ação digital promovida por uma marca.

Esperamos que esse artigo tenha sido útil para esclarecer suas dúvidas sobre a importância da indústria gráfica para o marketing e a publicidade.

E aí, curtiu?

 

 

Você sabe o que define uma boa impressão?

Os materiais gráficos são importantes em qualquer tipo de mercado e, por isso, conseguem se manter relevantes e indispensáveis mesmo em meio a uma digitalização cada vez maior dos meios de comunicação e interação.

Para produzir um material gráfico de qualidade, no entanto, é necessário se atentar a uma série de fatores que definem a qualidade de qualquer impressão.

Pensando nisso, preparamos um artigo para que você entenda os principais itens determinantes para uma boa impressão.

Dessa maneira você não cometerá mais nenhum erro ou equívoco que comprometa o resultado do seu material.

Que tal conferir?

Qualidade do estabelecimento

Faça questão de fazer toda a pesquisa necessária para encontrar o estabelecimento mais bem preparado para atender suas necessidades de maneira eficiente e objetiva.

Além de analisar a reputação geral da empresa busque conhecer e trocar informações com clientes e entender os pontos fortes e fracos de cada marca.

Acompanhamento profissional

O acompanhamento e a atenção de um profissional são essenciais durante todo o processo para esclarecer qualquer dúvida e fazer qualquer modificação necessária na produção.

Certifique-se, então, de optar por uma empresa com profissionais capacitados e atenciosos.

Aprovação de provas (mockups)

Assegure-se que a gráfica de sua escolha trabalhe com a produção de mockups e disponibilize-os para que você possa ver o resultado final do seu material antes de iniciar a impressão.

Armazenamento

O seu material merece cuidado e atenção em todas as etapas de produção, incluindo o armazenamento depois de pronto.

Isso significa que armazenar o material de maneira segura é indispensável para evitar amassados, arranhões ou outros danos ao produto final.

Afinal de contas ninguém quer investir em um material que, no final das contas, deixa a desejar por desleixo e falta de cuidado.

Materiais

Sempre verifique os materiais utilizados pela gráfica para fazer a impressão.

Mesmo que você não seja um especialista no assunto não é muito difícil identificar materiais de baixa qualidade ou inadequados.

Por isso, busque sempre conhecer o portfólio da gráfica e analisar materiais já desenvolvidos para ter uma ideia da qualidade dos produtos.

Escolha do papel

A escolha do tipo de papel utilizado no projeto é essencial para que o resultado final seja satisfatório.

Sendo assim, busque o máximo de informações possível sobre os papéis mais utilizados no tipo de projeto que você tem em mente.

Fazendo isso você garante que o produto final esteja de acordo com o que você idealizou e possua a qualidade necessária.

Comunicação

Por último, porém não menos importante, certifique-se de que a comunicação entre você e a gráfica seja fluida e direta.

Não tenha vergonha de tirar dúvidas, corrigir o que for necessário e pedir que o material seja feito exatamente do jeito que você deseja.

Uma boa gráfica deve sempre te oferecer todo o suporte necessário para escutar suas ideias e colocá-las em prática.

Temos certeza que essas dicas vão te ajudar a concluir seus projetos da melhor maneira possível e obter resultados que vão superar suas expectativas!

Aqui na Scribo você encontra todo o suporte necessário para que a sua produção gráfica tenha qualidade de ponta.

Entre em contato com a gente!

Como preparar o seu cartão de visitas para a impressão

Não é segredo para ninguém que um bom cartão de visitas é o responsável por causar uma boa primeira impressão em potenciais clientes e consumidores.

Pode-se dizer, inclusive, que o cartão de visitas é um dos materiais gráficos mais versáteis e importantes para empresas de qualquer segmento.

Aliar estética, objetividade e criatividade são essenciais para produzir um cartão de visitas atrativo, afinal, você não vai querer chegar em uma reunião importante com possíveis clientes sem ter um cartão de visitas para apresentar, não é mesmo?

Pensando nisso, preparamos um artigo explicando como preparar o seu cartão de visitas para a impressão.

Está esperando o que para conferir?

Tipo de papel

Assim como em qualquer outro material gráfico a escolha do papel é crucial para o resultado final da impressão de um cartão de visitas elegante, bonito e funcional.

Apesar da escolha depender, é claro, do posicionamento e abordagem da sua marca, os tipos de papel escolhidos com mais frequência são o couché e o vergê com impressões foscas e acetinadas.

Vale destacar, também, que é impossível deixar de lado a gramatura do papel na hora de imprimir o cartão de visitas. Gramaturas acima de 200g são recomendadas para resultados mais profissionais e estéticos.

Laminação (acabamento)

Os cartões de visitas, após impressos, costumam passar por um processo de enriquecimento conhecido como laminação que consiste na aplicação de uma espécie de película plástica sobre o cartão.

Existem, no entanto, dois tipos diferentes de película:

  • Laminação brilho

A laminação brilho (ou efeito verniz) costuma ser utilizada em partes específicas do cartão e, como o nome sugere, dá um brilho extra ao local destacado.

Por utilizar verniz esse tipo de laminação normalmente não é feito em todo o cartão já que deixaria marcas de dedos constantemente.

  • Laminação fosca

A laminação fosca gera um efeito mais opaco e, por isso, uma sensação maior de profissionalismo.

Além disso, é claro, vale ressaltar que essa laminação não deixa marca de dedos no cartão após o manuseio.

Cortes

A utilização de uma matriz (também conhecida como navalha) especial é bastante recomendada caso você esteja buscando um acabamento diferenciado para o seu cartão.

Na hora de cortar o cartão as matrizes podem gerar acabamentos serrilhados, picotados e vincos que incrementam o seu material.

Dessa maneira você foge dos cortes tradicionais e gera um visual mais criativo e inovador ao seu cartão.

Temos certeza que essas dicas vão te ajudar a preparar um cartão de visitas elegante e profissional para que o primeiro contato dos clientes com a sua marca seja positivo.

E aí, o que achou?

Entenda a importância de usar seu material impresso em estratégias digitais

Não se pode negar que o marketing digital tem tomado conta dos setores de marketing das empresas.

Com a crescente evolução tecnológica e digital, cada vez mais se torna imprescindível a elaboração dessas campanhas e ações para impulsionar qualquer marca.

O que acontece, no entanto, é que muitas vezes os empreendedores acabam gastando todos os seus recursos e esforços no campo digital e, por isso, negligenciam algumas estratégias mais tradicionais.

É importante ter em mente que, apesar da digitalização, os meios de publicidade e marketing ainda são efetivos caso sejam executados de maneira correta.

Pensando nisso separamos alguns motivos pelos quais você ainda deve investir em materiais impressos e alinha-los às estratégias digitais.

Que tal conferir?

Contato e aproximação com o público

Por mais que o tempo passe e as mídias digitais tomem cada vez mais espaço os cartões de visita, catálogos e folders ainda são opções eficazes de criar um contato inicial com os clientes, especialmente em empresas que possuem lojas físicas.

Atente-se sempre, é claro, na qualidade do material produzido e garanta que a utilização de cores, logomarcas, ilustrações e textos seja a melhor possível para apresentar informações de maneira direta e visualmente agradável.

Além disso esses materiais impressos podem ser passados adiante e, dessa maneira, atingir um novo público.

Outro ponto interessante de salientar é que, com esse material em mãos, os consumidores terão sempre um lugar para recorrer quando precisarem.

Pense, por exemplo, na seguinte situação: sua televisão está com defeito e, por isso, você precisa que um profissional especializado visite sua casa para conserta-la.

A probabilidade de você ligar para o número de um técnico que está em um cartão ao lado da televisão é bem maior que a de procurar um técnico online, não é mesmo?

Credibilidade

Por estarem no mercado a mais tempo os materiais impressos passam uma sensação de credibilidade e profissionalismo ao consumidor.

Não precisamos dizer, é claro, que as pessoas sempre tendem a escolher a opção mais confiável e tradicional e, por isso, a credibilidade passada pelos materiais impressos se torna essencial para uma empresa.

Versatilidade

A versatilidade é outro ponto em que os materiais impressos se destacam.

Com uma boa equipe de marketing e publicidade é possível pensar em diversas maneiras de conectar os materiais impressos aos digitais e fazer com que o consumo de um leve ao consumo do outro.

A simples impressão de um QR Code em um cartão, por exemplo, é uma maneira extremamente efetiva de fazer com que esse cartão gere engajamento digital e direcione pessoas para outras plataformas das marca.

Isso faz com que o seu negócio se torne cada vez mais dinâmico e, assim, obtenha mais resultados a cada dia.

Esses são alguns dos pontos que provam que investir em materiais impressos ainda é uma boa ideia, desde que esse investimento esteja alinhado ao investimento em plataformas digitais.

E você, o que está esperando para preparar alguns materiais para a sua empresa?

O que checar antes de enviar um arquivo para a gráfica?

A impressão do seu projeto gráfico é o último passo antes dele ganhar vida.

Apesar de todos as etapas serem importantes, a finalização do projeto deve ser feita com mais atenção para garantir que todo o esforço e trabalho das etapas anteriores não tenha sido em vão.

Afinal de contas, não adianta nada passar noites em claro planejando e produzindo o seu material se ele não for impresso da maneira correta no final das contas.

Com isso em mente preparamos um artigo destacando uma série de fatores aos quais você deve se atentar antes de enviar o seu material para a impressão.

Vem conferir!

Revisão

Apesar de parecer simples a revisão é um passo essencial para garantir que qualquer projeto gráfico esteja impecável.

Vale destacar, ainda, que as revisões devem ser feitas, de preferência, por pessoas de fora, e não pelo autor do projeto. Isso porque, ao ler um texto de autoria própria, as pessoas ficam com a visão condicionada a ignorar possíveis erros, já que os observaram tantas vezes.

Além disso, pessoas de fora podem oferecer ideias e visões diferentes para o aprimoramento do material.

Cor e resolução de imagens

Certifique-se que o sistema de cores do material seja compatível com o da impressora. Na maioria das vezes o sistema CMYK é utilizado por apresentar quatro bases de cores diferentes, diferentemente do RGB, que conta apenas com três.

Isso fará com que as cores do seu material impresso correspondam às cores do arquivo e, portanto, garantirá que você saiba exatamente o que irá imprimir.

Produza um mockup

O boneco é uma impressão prévia do material que serve como teste para verificar possíveis erros e alterações a serem feitas.

Isso permite que você analise o layout, ortografia e as cores do projeto para se certificar

Apesar de, devido à falta de tempo, a revisão acabar sendo deixada de lado algumas vezes, é imprescindível que ela seja feita para garantir que o seu projeto esteja pronto e impecável antes de fazer a impressão.

E você, o que está esperando para começar a revisar os seus projetos?

5 erros de design editorial que devem ser evitados

Diagramar projetos gráficos é uma tarefa bastante comum para quem trabalha ou estuda na área de produção gráfica.

Mesmo assim, no entanto, existem alguns erros bastante comuns que são cometidos corriqueiramente e comprometem a qualidade do design editorial que está sendo desenvolvido.

Seja por falta de conhecimento técnico ou falta de atenção em alguma etapa da produção, é importante corrigir esses erros para se tornar cada vez melhor na edição gráfica de projetos e materiais.

Se você está começando agora na área ou já possui experiência e precisa de algumas dicas, preparamos uma série de dicas para ajudar.

Que tal conferir?

Não utilize softwares inadequados ou desatualizados

O primeiro passo para uma boa diagramação e produção editorial é utilizar a ferramenta correta para o tipo de trabalho que você precisa fazer.

Apesar do InDesign ser o programa mais utilizado para designs gráficos em geral, existem algumas opções específicas para cada etapa do processo como, por exemplo:

  • Ilustração: Adobe Illustrator e Corel Draw
  • Tratamento de imagens: Adobe Photoshop e Corel PhotoPaint
  • Diagramação: Adobe PageMaker e Corel Ventura
  • Gerenciamento de fontes: Adobe Type Manage e Bitstream Font Navigator

Não utilize imagens de baixa resolução

Esteja sempre atento à qualidade e resolução das imagens que você utiliza em seus projetos gráficos, já que imagens de baixa qualidade comprometem bastante o resultado final do material.

A resolução mínima recomendada para imagens a serem usadas no design editorial de materiais impressos é de 300 DPI. Isso não significa, é claro, que você não deve buscar imagens de qualidade ainda maior que essa.

Lembre-se: quanto mais DPIs, maior é a qualidade da imagem.

Não polua visualmente o design

Aproximar demais os elementos pode criar uma sensação de sufocamento visual e desconforto para os leitores, além de dificultar a visualização clara de cada elemento contido no material.

Para que isso não aconteça certifique-se de utilizar a técnica do ‘respiro visual’, que consiste em em utilizar um espaçamento mínimo entre cada elemento.

A maioria dos profissionais trabalha com um respiro visual de 0,5 cm, o que não significa que você não pode adaptar este valor para melhor atender as necessidades do seu projeto.

Realize sangria

A sangria é uma margem externa de dois a cinco milímetros que garante que o material não fique com aquelas bordas brancas indesejadas.

Essas bordas surgem, às vezes, no processo de refile do material, que consiste em cortar as laterais do materiais para obter um.

Converta os textos em curvas

Quando você utiliza uma fonte que a gráfica não possui no sistema ela acaba tendo que ser alterada antes da impressão.

Para evitar isso, converta os textos em curvas e, dessa maneira, eles serão reconhecidos pela impressora como ilustrações vetoriais e não serão alteradas.

Temos certeza que essas dicas vão te ajudar a evitar problemas no design editorial e na diagramação de projetos!

E aí, curtiu?

 

 

Qual é a encadernação ideal para o seu material?

Assim como em qualquer produto, o acabamento de uma produção gráfica é essencial para que a leitura e o manuseio de livros, cadernos, agendas e catálogos seja o melhor possível.

É aí que entra a encadernação, que é parte essencial do acabamento dessas produções.

O processo, que consiste em unir as páginas de um projeto de maneira ordenada para garantir a facilidade de manuseio, ocorre após a impressão.

Você sabia, no entanto, que existem diferentes tipos de encadernação e cada um deles é recomendado para uma situação?

Pensando nisso, preparamos esse artigo para destrinchar qual tipo de encadernação é o melhor para o seu projeto.

Que tal conferir?

Tipos de encadernação

  • Espiral

Esse tipo de encadernação é extremamente comum em cadernos, apostilas e outros materiais didáticos.

Além de ser mais econômica, a encadernação em espiral suporta até 400 folhas em gramatura fina e é feita de maneira simples: basta utilizar uma máquina específica para fazer os furos nas folhas e na capa e, após isso, inserir a espiral que, normalmente, é feita de plástico.

  • Canoa/grampo

A encadernação do tipo canoa consiste no grampeamento simples de capa e miolo.

Por ser uma encadernação que une as partes apenas com grampos, ela costuma ser utilizada em materiais mais leves como revistas e livretos.

Ou seja, se você precisa encadernar algum material mais pesado ou com folhas de maior gramatura, não é recomendado que você use a encadernação canoa.

  • Brochura

A encadernação brochura consiste na colagem do miolo na capa através da aplicação de cola e, por proporcionar lombadas quadradas, costuma ser bastante utilizada em livros.

Vale ressaltar que os livros costumam ficar empilhados de forma que apenas a lombada fica visível, então é importante ter bastante cuidado com a produção das lombadas para a encadernação brochura.

  • Wire-o

Essa encadernação é uma espécie de evolução da espiral.

Ela consiste em fazer furos quadrados no material e, nesse caso, usar uma espiral dupla construída de um material metálico que gera um aspecto mais bonito e garante maior durabilidade.

O wire-o normalmente é usado para a encadernação de cadernos, agendas e calendários, já que suporta a utilização de folhas de diversas gramaturas, além de capas duras e flexíveis.

  • Lombada quadrada

Esse tipo de encadernação é similar ao brochura, porém utiliza colagens mais resistentes voltadas para a durabilidade do material.

Ao invés da cola simples que é usada em materiais menores, essa encadernação utiliza colas industriais e até mesmo costuras para garantir uma vida longa ao produto.

Por isso essa encadernação é utilizada, normalmente, em obras de grande volume de páginas.

Lembre-se de sempre consultar profissionais da área gráfica para que eles possam te auxiliar no acabamento dos seus projetos e garantir o melhor resultado possível.

E aí, qual é o melhor tipo de encadernação para o seu material?

A importância da psicologia das cores em projetos gráficos

Você já reparou que anúncios de promoções e liquidações são, normalmente, feitos em tons de vermelho e amarelo?

Ou que hospitais e clínicas costumam optar por temas brancos e verdes?

Pois bem, isso acontece porque os estabelecimentos que utilizam esses tons entendem o funcionamento e a importância da psicologia das cores.

Mas o que é a psicologia das cores?

A psicologia das cores é um estudo e análise comportamental das respostas do cérebro que busca compreender as diferentes reações da mente humana aos diversos estímulos provenientes de cores.

Sabe-se que o lado direito do cérebro, responsável pelas emoções, sensações e tomadas de decisão, toma todas essas decisões sob a influência causada pelas cores que vemos.

Mas como, exatamente, as cores influenciam um projeto gráfico?

Estudos mostram que todas as cores estão atribuídas a alguma emoção no nosso cérebro e, portanto, tendem a influenciar a tomada de decisão.

Isso significa que, utilizando a combinação correta de cores, é possível transmitir determinada emoção e incentivar, dessa forma, o público a adquirir certo produto ou serviço.

E qual emoção é atribuída a cada cor?

  • Vermelho: paixão agressividade, vigor, velocidade.
  • Laranja: vitalidade, prazer, humor, exuberância.
  • Amarelo: positividade, calor, motivação, criatividade.
  • Verde: bem-estar, natureza, crescimento, equilíbrio.
  • Azul: segurança, responsabilidade, confiança, tranquilidade.
  • Violeta: realeza, sabedoria, nostalgia, espiritualidade.
  • Rosa: proteção, intimidade, feminino, leveza.
  • Castanho: autenticidade, simplicidade, durabilidade, terrestre.
  • Preto: prestígio, valor, sofisticação.
  • Branco: pureza, virtude, paz, limpeza.
  • Acinzentado: compromisso, neutralidade, simplicidade, suavidade.

Além de servir para instigar essas emoções, as cores possuem influência direta em diversos outros aspectos da interação do público com qualquer imagem.

Segundo estudos, elas melhoram a leitura, o aprendizado e até mesmo o reconhecimento de uma marca, ou seja, são extremamente benéficas para qualquer projeto gráfico.

Sendo assim, fica clara a enorme importância do uso de cores e como elas podem influenciar nas sensações do público.

E você, já pensou na melhor maneira de utilizar as cores para melhorar os seus projetos?

Os três tipos de Ribbon e suas aplicações

O Ribbon é um suprimento para impressões digitais em impressores de transferência térmica que costuma ser utilizado na impressão de dados, códigos de barras e tabelas nutricionais.

O que algumas pessoas não sabem, entretanto, é que existem três tipos diferentes de Ribbon, cada um com uma série de características diferentes. Por isso, preparamos um artigo explicando cada um dos tipos e as suas principais aplicações.

Que tal conferir?

Ribbon cera

O Ribbon cera é o tipo mais indicado para impressões em papéis offset e costuma ser aplicado em materiais que não recebem atrito ou altas temperaturas.

Apesar de ser mais barato, sua impressão não é tão durável quanto às outras e, por isso, são bastante utilizados em etiquetas de transporte, identificação, prateleira e promoções.

Ribbon resina

Utilizado majoritariamente em materiais sintéticos e plásticos, o Ribbon resina apresenta excelente qualidade de impressão e durabilidade, sendo resistente a produtos químicos, abrasão, sol, óleos, solventes e água.

Apesar dessas qualidades, o custo do Ribbon resina é bem elevado e por isso ele só costuma ser utilizado em rótulos químicos e farmacêuticos.

Ribbon misto

Como o nome sugere, o Ribbon misto é composto por cera e resina e combina as vantagens de cada um, aumentando a qualidade e a durabilidade das impressões.

Por ser mais versátil, esse tipo de Ribbon é recomendado para a impressão de diferentes tipos de materiais e costuma ser utilizado em códigos de barras, identificação de produtos, transporte, etiquetas de prateleiras, promoções e outros.

Em questão de preço, o Ribbon misto fica entre o de cera e o de resina.

Esperamos que suas dúvidas tenham sido sanadas!